15 de mai de 2010

[...]

Em meio a tanta ousadia, as dúvidas me freiam, na busca de saciar as vontades que você me desperta, me perco. Procurando estampar minha rotina com tudo que me lembra você, colorindo meus dias, entre lágrimas e risos, entre goles e copos, entre cigarros e tragos, entre palavras e silêncio, de forma inconstante e as vezes contraditória vou vivendo, e usando como filosofia, o tão clichê do; "deixar acontecer".
"...e o medo de toda certeza que chamam de amor, é cedo não quero dizer, que foi tarde demais... a vida ficou por ali, me olhando por trás..."